Projeto do CTE-IRB e Iede objetiva mapear a permanência
de estudantes nas redes municipais durante a pandemia
 

O projeto “Permanência Escolar na Pandemia” é uma nova parceria entre o Instituto Rui Barbosa (IRB), por meio de seu Comitê da Educação (CTE-IRB), e o Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede). A proposta visa à cooperação e atuação conjunta com os Tribunais de Contas brasileiros para mapear a permanência dos estudantes nas redes municipais e estaduais durante o período de pandemia, por meio da criação do Indicador de Permanência Escolar.

 

A iniciativa tem o apoio das entidades que integram o sistema de controle externo: Atricon, Abracom, CNPTC, Audicon, Ampcon, além da Rede Indicon. A metodologia do projeto prevê a aplicação de questionário online a um grupo de redes de ensino. O Iede e o CTE-IRB oferecerão suporte técnico aos TCs que aderirem à ação, tais como roteiros de entrevista e capacitação online.

 

De acordo com o presidente do CTE-IRB, Cezar Miola, o levantamento das informações contribuirá para diagnosticar situações críticas, podendo servir de subsídio à atuação dos respectivos TCs, além de proporcionar um panorama da situação de permanência escolar no país.

 

Para o diretor executivo e fundador do Iede, Ernesto Faria, o contexto da pandemia, de período prolongado de aulas à distância e de restrições para a volta presencial, trouxe vários riscos de evasão massiva de alunos do sistema educacional. “Nesse momento é necessário um acompanhamento próximo sobre a participação dos alunos no sistema educacional, de forma a antecipar problemas e trazer diagnósticos para a busca ativa de alunos que evadiram. Também é necessária a identificação de benchmarks que orientem que ações podem ser mais efetivas no atual cenário”, disse.

 

A manifestação de interesse pode ser realizada até o dia 21 de maio. Para mais informações acesse o material a seguir: